26.10.2018

Velocidade de vendas de imóveis residenciais na planta aumenta 40% no DF

Os brasilienses compraram mais imóveis na planta nos últimos meses. Em agosto, pesquisa mensal que apura a variação do Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de imóveis residenciais novos revela crescimento de expressivos 40% nesse tipo de negócio, em relação aos dados de maio (veja gráfico a seguir). Entre os principais motivos para essa elevação estão: baixa oferta de imóveis residenciais prontos para ocupação (estoque de apenas 3.330 unidades); opção de investimento mais seguro e rentável do que o oferecido pelo mercado financeiro, em razão da instabilidade política, da crise econômica e das expectativas quanto ao futuro da economia.

“A pesquisa reúne informações prestadas por 31 companhias com maior participação no mercado imobiliário do Distrito Federal. É realizada desde 2015 e os dados ao longo de 2018 sinalizam positivamente para negócios mais rentáveis no setor imobiliário. Com isso, haverá grande repercussão nas vendas da cadeia produtiva da indústria, do atacado e do varejo relacionados ao nosso mercado, o que é uma excelente notícia para todo o DF”, avalia Eduardo Aroeira, Presidente em exercício da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI-DF).

IVV RESIDENCIAL – POR ESTÁGIO DA OBRA

Oportunidade de compra para quem vai receber o 13º salário

O gráfico de velocidade de vendas anterior mostra a variação do IVV dos imóveis por estágio da obra (prontos e em construção). O IVV de imóveis residenciais em construção, ou na planta, atingiu 10,3% em agosto, índice que vem em alta desde maio (7,4%); enquanto isso, o índice de vendas de imóveis prontos foi de apenas 4,6% em agosto. “Estas informações somadas à baixa oferta de unidades prontas para morar anima as construtoras a prepararem mais lançamentos para os próximos meses. É uma ótima oportunidade de compra para quem vai receber o 13º salário”, comenta Aroeira. Segundo a ADEMI-DF, há vários relatos de empresas imobiliárias que têm vendido unidades residenciais à vista, em especial, no Setor Noroeste, mais um sinal de grande interesse pelos imóveis no DF.
Velocidade de Vendas cresce 15% em relação ao 1º semestre

O Índice de Velocidade de Vendas de imóveis residenciais novos (inclui os prontos e os em construção) foi de 7,2% em agosto. Foi o melhor desempenho para o mês de agosto, desde 2015. “Se considerarmos a média do IVV de julho (6,8%) e o de agosto temos que a velocidade de vendas média nesses meses foi 15% superior à média de todo o 1º semestre de 2018”, diz o dirigente da ADEMI-DF. O indicador mensal de 7,2% é bastante positivo. Isso porque um IVV de 5% já representa um cenário otimista nos estudos de viabilidade de um empreendimento imobiliário.

IVV RESIDENCIAL – IMÓVEIS NOVOS

Apesar de haver demanda por imóveis, pouca oferta de unidades prontas e financiamento disponível para a compra houve apenas dois lançamentos residenciais no mês de agosto, segundo as empresas participantes da pesquisa: um edifício em Águas Claras e outro no Setor Noroeste. De janeiro a agosto, apenas 9 lançamentos foram registrados no DF pelas companhias consultadas. “O mercado imobiliário precisa de mais lançamentos, senão haverá desequilíbrio ainda maior na oferta e na procura”, reforça Eduardo Aroeira.

Pesquisa IVV é fruto de parceria entre três entidades

A pesquisa IVV é conduzida desde janeiro de 2015 pela ADEMI-DF e pelo SINDUSCON-DF – Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF, com apoio do SEBRAE-DF. A empresa Opinião Informação Estratégica é responsável pela coleta, tabulação e análise das informações, obtidas junto às empresas que aderiram voluntariamente ao projeto.

DADOS DA PESQUISA IVV AGOSTO 2018

A pesquisa do IVV tem o objetivo de aferir o ritmo dos negócios de imóveis novos residenciais e comerciais no DF e se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas dos empreendedores.

OFERTA DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS

Em agosto, a oferta de imóveis residenciais novos e prontos para a ocupação caiu para 3.330 unidades, na comparação com o total de 3.478 em julho. Em dezembro de 2017, a oferta somava 3.858 segundo as empresas participantes da pesquisa IVV.

As quantidades de imóveis informadas se referem aos negociados pelas empresas participantes da pesquisa e não representam o total de imóveis em oferta ou negociados em todo o DF. Os percentuais informados podem ser projetados para a representação de todo o mercado imobiliário do DF.

VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS

As 31 empresas informaram as unidades residenciais vendidas em agosto de 2018: 240 imóveis, total que ficou acima dos resultados de junho (227) e julho (236).

Valor do m² imóveis residenciais

Entre as várias informações do mercado imobiliário do DF, a pesquisa do IVV aponta a variação do preço ofertado por m² dos imóveis residenciais em cada região. Em agosto, a Asa Norte registrou o maior valor de oferta: R$ 14.876,58; o mais baixo foi ofertado em Santa Maria: R$ 2.941,70.

Microempresas e empregados envolvidos nos negócios imobiliários

Um dado apurado mensalmente pela Pesquisa IVV é a participação de microempresas e empresas individuais nos negócios imobiliários no DF. Essas microempresas são representadas, em boa parte, pelos corretores imobiliários. Em agosto, por exemplo, a venda de 240 unidades residenciais novas envolveu uma média de 2,16 corretores por venda realizada. Outra informação importante da pesquisa mensal é o envolvimento do número de empregados nos mesmos negócios. Em agosto foram apurados 5.262 trabalhadores, segundo as empresas respondentes.

IVV COMERCIAL

O gráfico mostra a evolução do IVV dos imóveis comerciais até agosto de 2018. O desempenho do IVV comercial em agosto foi de 1,1%.

Fonte: http://crecidf.gov.br/noticias/velocidade-de-vendas-de-imoveis-residenciais-na-planta-aumenta-40-no-df/